Sintomas da depressão e ansiedade

18 de setembro de 2015 at 3:59

 

Muitas pessoas acreditam que a depressão e ansiedade são extremamente parecidas, ou ainda extremamente diferentes.

A questão é que seus sintomas são semelhantes, mas é interessante apontar que pessoas com transtorno de ansiedade têm mais de 20% de chance de passar para um quadro de depressão, enquanto que pessoas com depressão têm apenas 2% de chance de passar para a ansiedade.

O diagnóstico correto desses dois distúrbios emocionais deve ser feito por um especialista qualificado, geralmente um psiquiatra.

Quais são as causas da depressão e da ansiedade? Quais são os sintomas de ambos? E como deve ser feito o tratamento?

Diferença nas causas da depressão e da ansiedade

 

Primeiro, vamos esclarecer o que é depressão e ansiedade, de modo que se entenda como cada uma atinge o organismo, afetando a saúde física e mental.

Segundo o Dr. Marcelo Maroni, a depressão “é um transtorno psiquiátrico caracterizado por um estado psíquico consistente e duradouro de tristeza, desprazer contínuo e pensamentos de conteúdo negativistas que perduram por no mínimo 15 a 30 dias”.

sintomas da depressão

sintomas da depressão

Já relacionado a ansiedade, Dr. Marcelo Maroni afirma que “o que mais caracteriza a ansiedade é uma precipitação de pensamentos desordenados e descontrolados, invasivos, sempre relacionados a algo ruim que possa acontecer”.

Quais são as causas da ansiedade?

A ansiedade, por si só, não é algo de todo ruim, pois é um sentimento que a maioria de nós experimenta pelo menos uma vez na vida, como, por exemplo, diante de uma apresentação a um grande público, véspera de provas ou no aguardo de um dia importante.

As causas da ansiedade – principalmente quando se torna algo patológico, afetando a vida, o bem-estar e o relacionamento com os demais – são provenientes de diversos fatores, entre eles:

  • Experiências traumáticas antigas ou atuais,
  • Traumas da vida,
  • Estresse,
  • Ambiente familiar (comportamentos e convivência),
  • Doenças, como hipertensão e hipertireoidismo.

Quais são as causas da depressão?

A depressão ocorre através de uma tristeza profunda, além da falta ou baixa autoestima. O que acontece é que há uma alteração química no cérebro, sendo que os neurotransmissores não estão produzindo substâncias que transportam impulsos nervosos entre as células de forma satisfatória. Essas substâncias mal produzidas são a serotonina, dopamina e noradrenalina.

As causas para a depressão são também variadas, mas podem ser separadas como principais:

  • Problemas familiares,
  • Estresses em ambientes organizacionais,
  • Doenças, como por exemplo, diabetes e doenças autoimunes,
  • Traumas súbitos,
  • Personalidade tendenciosa para depressão,
  • Insônia.

 

Sintomas da depressão e ansiedade

 

A depressão e a ansiedade possuem sintomas similares, e por isso, muitas vezes, são confundidos.

Depressão tem tratamento

Depressão tem tratamento

Como comentado anteriormente, quem faz a avaliação correta é um médico capacitado, sendo, portanto, uma necessidade importante a procura de auxílio profissional para que se inicie um tratamento imediato.

A ansiedade tem sintomas – diversas vezes – intensos, que mais parecem temores cheios de exagero:

  • A pessoa não consegue relaxar,
  • Pavor de eventos difíceis,
  • Dificuldade de concentração,
  • Sensação de que algo ruim sempre está para acontecer,
  • Descontrole de pensamentos,
  • Fadiga,
  • Irritabilidade,
  • Dificuldades para dormir,
  • Problemas sexuais,
  • Aperto no peito,
  • Dor de estômago,
  • Palpitações,
  • Sudorese, e
  • Inquietação.

Muitos desses sintomas são vistos em pessoas com depressão, como, por exemplo, a irritabilidade, medos e dificuldade de concentração.

Mas a depressão traz outros sinais mais severos que consomem o físico e emocional da pessoa, entre eles:

  • Perda ou o aumento de apetite,
  • Ideias frequentes e pessimistas, como de culpa, baixa autoestima, falta de sentido na vida, achar que é inútil,
  • Desesperação, desespero, sensação de vazio,
  • Falta de motivação, apatia e desinteresse,
  • Indecisão,
  • Realidade negativa,
  • Dores físicas, como dores de barriga, dor de cabeça, pressão no peito, azia, má digestão, entre outros.

Quando a depressão entra em um modo severo, a pessoa pode ter pensamentos ou ideias suicidas.

Por isso, o tratamento deve ser iniciado imediatamente para prevenir qualquer ação desse porte.

 

Vale lembrar da procura pelo atendimento médico assim como seu tratamento com acompanhamento. Na maioria das vezes, o tratamento para a depressão ou a ansiedade se dá através de medicamentos e psicoterapia (sendo esta uma alternativa complementar, e nunca como substituta do tratamento medicamentoso).

É importante que a pessoa portadora de depressão ou ansiedade tenha todo o apoio familiar possível, para que assim, a qualidade de vida de todos seja elevada e garantida.