Psiquiatria Curitiba - Tratamento da Depressão, Tratamento do Estresse, Déficit de Atenção e Hiperatividade em Adultos e Crianças. Fone: (41) 9933-8586 / 9212-2170

Índice de transtorno de ansiedade e depressão em SP é igual a de país em guerra

8 de junho de 2014 at 17:54

19,9% da população da região metropolitana de São Paulo tem transtorno de ansiedade e depressão atinge 11%, diz estudo

 

2,2 milhões de paulistanos têm depressão

transito caótico em SP

transito caótico em SP

A região metropolitana de São Paulo tem índices de depressão e transtornos de ansiedade semelhantes ao de áreas de guerra como o Líbano e a Síria. Um estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Medicina da USP e que integra uma base de dados internacional identificou que 19,9% da população sofre de algum transtorno de ansiedade. Já em relação à depressão, os dados mostram que ela atinge 2,2 milhões, ou 11% dos 20 milhões de pessoas que moram na grande São Paulo.

Soldado em guerra

Soldado em guerra

 

“É preocupante. É uma cidade muito estressada, muito violenta. Acreditamos que o nível de violência tenha relação a ansiedade e a depressão”, disse.Wang Yuan Pang, pesquisador do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo e coordenador da pesquisa São Paulo Megacity, que integra um estudo da Organização Mundial da Saúde realizado concomitantemente em vários países.

15 maneiras de controlar a ansiedade

8 de junho de 2014 at 17:51

Com a correria do dia a dia, muitas vezes, não há tempo  para relaxar como gostaríamos e nem para cuidar melhor do corpo e da mente. Tudo acaba se embaralhando e os problemas diários resultam em grande ansiedade. Mas você sabia que algumas atitudes podem diminuir ou controlar esse turbilhão de sentimentos? Conheça 15 maneiras de amenizar o comportamento ansioso e respirar mais tranquila.

 

  1. Tome duas xícaras de chá de flor-de-maracujá por dia. A bebida aumenta os níveis de ácido gama-aminobutírico, um neurotransmissor que relaxa ;

 

  1. Respire certo: a barriga (e não o tórax) deve estufar na inspiração. Assim, os batimentos cardíacos ficam mais lentos, a mente, oxigenada, e você, aliviada;

 

  1. Corte o cafezinho. Cafeína acelera o sistema nervoso e deixa você ainda mais ansiosa. Não se esqueça de beber muita água;

 

  1. Acrescente frutas, vegetais e cereais à dieta. A carência desses alimentos provoca insônia, estresse e palpitações no coração;

 

  1. Faça acupuntura. Essa terapia com agulhas libera endorfina e serotonina, neurotransmissores com efeito relaxante, inclusive sobre a musculatura;

 

  1. Vá dançar uma vez por semana. A prática ajuda a espairecer e descarrega as tensões acumuladas;

 

  1. Tome suco de caju, limão, laranja, ou acerola: frutas ricas em vitamina C, que reduz a produção de cortisol, conhecido como hormônio do estresse;

 

  1. Dê uma chance à homeopatia. Ela é capaz de restabelecer o equilíbrio do corpo;

 

  1. Durma ao menos 8 horas por noite. Isso evita irritação e agressividade;

 

  1. Renove a energia em minutos. Coloque os pés numa bacia com um punhado de sal grosso e água morna;

 

  1. Ouça músicas instrumentais por 12 minutos. Elas reduzem os batimentos cardíacos;

 

  1. Leia um romance ou assista a um filme. A ficção nos distrai de nossas próprias dores de cabeça;

 

  1. Faça trabalhos manuais. Isso ativa o cérebro e relaxa a alma;

 

  1. Pinte as paredes com cores claras e estampas que misturem poucas tonalidades. Isso espanta a agitação;

 

  1. Adote um animal. Interagir com um bichinho ao menos por meia hora ao dia eleva a quantidade de prolactina, hormônio ligado ao bem-estar.

 

 

 

(Fonte: MdeMulher)

Conheça os sinais que indicam que a ansiedade virou doença

8 de junho de 2014 at 17:50

Problema caracterizado pelo sentimento de ameaça é cada vez mais comum

 

Ficar nervoso antes de uma apresentação ou de uma entrevista de emprego é uma sensação que grande parte das pessoas já experimentou ao longo da vida. Mas um sinal de alerta soa para a saúde quando o sentimento de ameaça passa a ser rotina, sem uma razão específica.

A partir desse ponto, quase sempre de identificação nebulosa, pode-se falar em transtorno de ansiedade, expressão cada vez mais comum atualmente. Esse problema, que impacta tanto a condição física quanto emocional das pessoas, atinge 18% da população dos Estados Unidos por ano.

No Brasil, o caso também é comum. Entre 2007 e 2010, os remédios ansiolíticos, que tratam de ansiedade e insônia, foram os medicamentos de uso controlado mais consumidos, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Em seus quadros mais graves, a ansiedade leva a problemas no sono (insônia), dificuldades de memória, dores no corpo diversas e dispersas, taquicardia, enxaquecas, diarreias ou prisão de ventre, alergias, dermatites e muitos outros”, afirma a psicóloga Márcia Merquior, do Vista Check-Up Center.

Segundo ela, a pessoa que apresenta esse quadro pode também se mostrar irritadiça, temerosa, impaciente e “como se estivesse por um fio diante de um abismo”, o que pode culminar na Síndrome do Pânico, fobias e inibições.

ansiedade psiquiatria curitiba

Essas reações acabam por prejudicar várias áreas da vida, como o trabalho, família e relacionamentos em geral. Os sinais também englobam agitação psicomotora, pensamento agitado e até tendência depressiva ao isolamento, de acordo com a psicóloga.

O que fazer diante disso? Em uma crise pontual, a orientação de Márcia é respirar e meditar, sem se deixar levar pela aflição. No entanto, o processo não se limita a isso. O autoconhecimento, que pode ser alcançado em terapia, é essencial para controlar o desespero.

Buscar o tratamento da ansiedade, irá melhorar a qualidade de vida e a controlar a mente...

Buscar o tratamento da ansiedade, irá melhorar a qualidade de vida e a controlar a mente…

O equilíbrio também pode ser obtido por meio de exercícios, alongamentos diários, controle da agressividade, hobbies, atividades sem excessos e sem pressa. Se nada disso der certo, o melhor a fazer é buscar a ajuda de um neuropsiquiatra ou psiquiatra, que poderão avaliar a necessidade de adotar medicação.

Fonte: revista exame

7 alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade

25 de maio de 2014 at 23:30

Conheça 7 alimentos que ajudam a diminuir a ansiedade e o estresse, vale ressaltar que o consumo de alimentos sempre deve ser equilibrado sem exageros e nos horários adequados

Frutas cítricas – Estudos comprovaram que a vitamina C, presente nas frutas cítricas, diminui a secreção de cortisol, hormônio liberado pela glândula adrenal em resposta ao estresse e à ansiedade e responsável por transmitir a notícia de estresse para todas as partes do corpo. Seu consumo promove o bom funcionamento do sistema nervoso e aumenta a sensação de bem-estar.

Frutas cítricas contra a ansiedade

Frutas cítricas contra a ansiedade

Leite, ovos e derivados magros: Eles são uma ótima fonte de um tipo de aminoácido, o triptofano, que alivia os sintomas de ansiedade.

Leite, queijos, ovos,

Leite, queijos, ovos,

Carboidratos: Os carboidratos, provenientes dos cereais na sua forma simples e integrais, e das frutas mais adocicadas, também podem combater a indesejada ansiedade. Eles elevam os níveis de açúcar no sangue dando mais disposição, seu consumo deve ser controlado e equilibrado

receita-de-pao-integral

Banana: Um estudo feito por pesquisadores do Instituto de Pesquisas de Alimentos e Nutrição das Filipinas comprovou que esta fruta ajuda no combate da depressão e alivia os sintomas da ansiedade. Graças ao alto teor de triptofano qua a fruta carrega, ajudando na produção de serotonina.

banana-2

Carnes e peixes: Eles são a melhor fonte natural de triptofano, aminoácido que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem serotonina, um neurotransmissor importante no processo do sono, do humor e que regula os níveis de ansiedade. Além disso, as carnes e peixes contêm outro aminoácido chamado taurina. Esta substância aumenta a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade.

alimentos-saudaveis-1

Chocolate: O chocolate é rico em flavonoides, um tipo de antioxidante que favorece a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e que melhora o humor, reduzindo a sensação de ansiedade.

Chocolate

Espinafre: O espinafre contém folato (ácido fólico), que é uma potente vitamina antidepressiva natural, segundo um estudo da Universidade da Califórnia, o cérebro consome muita energia para funcionar e isso resulta na sobra de resíduos químicos oxidantes. É neste momento que alimentos, como o espinafre, começam a trabalhar para eliminar as substâncias em excesso.

creme-de-espinafre-blog-da-mimis-2

Animal de estimação pode deixar dono mais otimista e feliz

25 de maio de 2014 at 23:10

Você se sente bem quando chega em casa e seu pet lhe recebe feliz? Abanando o rabo, latindo, fazendo festa, subindo por tudo inclusive em cima de você…

Muitos estudos indicam que animais de todo tipo como cão, gato, peixe, aves e outros, são capazes de deixar seu dono mais feliz, otimista, ativo e menos solitário.

gato estimação anti estresse

Alem disso os animais podem fazer bem para o coração (pressão arterial e circulação sanguínea), sistema imunológico, hiperatividade, depressão, postura e alergias.

Por isso se você já ama seu pet agora tenha um apreço ainda maior por ele, pois este faz bem a sua saúde como um todo.

Seu cachorrinho ajuda na sua saúde também

5 coisas que um animal pode melhorar em você:

  • Comunicação
  • Auto-estima
  • Humor
  • Saúde do coração
  • Peso

Cão contra depressão

Cachorro contra depressão

Cachorro contra depressão

  • Quando você acaricia um cachorro, há uma mudança hormonal no seu corpo;
  • A produção de hormônios do estresse diminui (Cortisol e Adrenalina);
  • O Coração desacelera e a pressão arterial cai;
  • A produção de hormônios do bem-estar aumenta (Serotonina e Noradrenalina)
  • O dono se acalma, fica mais tranqüilo e relaxado

info_animal

Dicas para ter uma noite de sono melhor

4 de maio de 2014 at 21:29

Pesquisas indicam que mais de 60% da população brasileira tem dificuldades ou queixas sobre o sono, em muitos casos a falta constante de sono pode prejudicar a vida da pessoa em vários aspectos, como falta de memória, fadiga, aumento da ansiedade e até mesmo desenvolver um quadro de depressão.

 

O infográfico abaixo dá algumas dicas para melhorar a qualidade do sono, o psquiatraemcuritiba.com.br trouxe essa informação para alertar sobre a importância de uma noite bem dormida, nos casos mais graves é necessário buscar ajuda especializada, um psiquiatra pode contribuir para auxiliar no tratamento e melhora do sono.

Dicas para ter uma boa noite de sono

Dicas para ter uma boa noite de sono

Infográfico sobre síndrome do Pânico – sintomas e tratamento

4 de maio de 2014 at 21:20
Infográfico explica com acontece a síndrome do pânico

Infográfico explica com acontece a síndrome do pânico

Ataque de raiva pode aumentar risco de infarte

4 de maio de 2014 at 20:57

Ter um ataque de raiva pode elevar o risco de sofrer um infarto ou um derrame, revela uma nova pesquisa.

Segundo os autores do estudo, rompantes de fúria podem funcionar como um “gatilho” para tais episódios.

 

Eles identificaram as duas horas subsequentes a uma explosão de cólera como as de maior risco para a saúde de um indivíduo.

Mas os cientistas responsáveis pelo estudo alegam que mais pesquisas são necessárias para entender como funciona essa conexão e descobrir se estratégias para desanuviar o estresse podem evitar tais complicações.

 

Ataque de raiva aumenta risco de infarte e derrame

Ataque de raiva aumenta risco de infarte e derrame

Pessoas que já tenham histórico de doenças cardíacas também apresentam maior risco de saúde caso passem por episódios de descontrole emocional, afirmou o estudo americano, publicado na revista científica European Heart Journal.

Nas duas horas imediatamente subsequentes ao ataque de raiva, o risco de uma parada cardíaca aumentou cinco vezes e o de derrame mais de três vezes, identificou o levantamento, baseado em nove pesquisas diferentes.

O estudo foi feito a partir da análise de dados de milhares de pessoas.

8 sinais de que você pode estar com depressão

1 de maio de 2014 at 22:55

8 sinais de que você pode estar com depressão

Doença, que atinge cerca de 10% dos brasileiros, é caracterizada por conjunto de sintomas que vão desde tristeza duradoura até problemas para dormir

 

A depressão afeta 350 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), e é mais prevalente entre mulheres. No Brasil, cerca de uma em cada dez pessoas sofre com o problema. Embora seja uma doença comum, a moléstia carrega estigmas que dificultam seu diagnóstico precoce e a adesão ao tratamento adequado.

O primeiro deles está no fato de a depressão ser um transtorno mental. “Percebemos que o preconceito com as doenças mentais faz com que muitos pacientes, principalmente os homens, demorem a aceitar que têm o problema e a procurar um médico, atrasando o tratamento”, diz Rodrigo Martins Leite, psiquiatra e coordenador dos ambulatórios do Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.

Veja 8 sinais que podem indicar depressão:

1 – Alteração do Humor

Alteração de humor - Psiquiatra Curitiba

Alteração de humor – Psiquiatra Curitiba

O principal sintoma da depressão é o humor deprimido, que pode envolver sentimentos como tristeza, indiferença e desânimo. Todos esses sentimentos são naturais do ser humano e nem sempre são sinônimo de depressão, mas, se somados a outros sintomas da doença e persistirem na maior parte do dia por ao menos duas semanas, podem configurar um quadro de depressão clínica. “O humor deprimido faz com que a pessoa passe a enxergar o mundo e a si mesma de forma negativa e infeliz. Mesmo se acontece algo de bom em sua vida, ela vai dar mais atenção ao aspecto ruim do evento. Com isso, o paciente tende a se sentir incapaz e sua autoestima diminui”, diz o psiquiatra Rodrigo Leite, do Instituto de Psiquiatria da USP.

 

2 – Desinteresse por coisas prazerosas

 

Desinteresse por atividades prazerosas

Desinteresse por atividades prazerosas

Perder o interesse por atividades que antes eram prazerosas é outro sintoma importante da depressão. O desinteresse pode acontecer em diferentes aspectos da vida do indivíduo, como no âmbito familiar, profissional e sexual, além de atividades de lazer, por exemplo. “O paciente também pode abrir mão de projetos por achar que eles já não valem mais o esforço, deixar de conquistar novos objetivos ou de aproveitar oportunidades que podem surgir em sua vida”, diz o psiquiatra Rodrigo Leite.

3 – Problemas relacionados ao sono

Dificuldade com sono sintoma da depressão

Dificuldade com sono sintoma da depressão

Pessoas com depressão podem passar a dormir durante mais ou menos tempo do que o de costume. É comum que apresentem problemas como acordar no meio da noite e ter dificuldade para voltar a dormir ou sonolência excessiva durante a noite ou o dia.

4 – Mudanças no apetite

 

Falta de apetite - Sintoma depressão

Falta de apetite – Sintoma depressão

Pessoas com depressão podem apresentar uma perda ou aumento do apetite — passando a consumir muito açúcar ou carboidrato, por exemplo. Segundo o psiquiatra Rodrigo Leite, não está claro o motivo pelo qual isso acontece, mas sabe-se que, somado a outros sintomas da doença, a alteração do apetite que persiste por no mínimo duas semanas aumenta as chances de um paciente ser diagnosticado com depressão.

5 – Perda ou ganho de peso

 

Perda ou ganho de peso pode ser um sintoma da depressão - Psiquiatra Curitiba

Perda ou ganho de peso pode ser um sintoma da depressão – Psiquiatra Curitiba

Mudanças significativas de peso podem ser uma consequência da alteração do apetite provocada pela depressão — por isso, são consideradas como um dos sintomas da doença.

6 – Falta de concentração

 

Falta de concentração pode ser um sintoma da depressão

Falta de concentração pode ser um sintoma da depressão

Em muitos casos, a depressão também pode prejudicar a capacidade de concentração, raciocínio e tomada de decisões. Com isso, o indivíduo perde o rendimento no trabalho ou nos estudos. Segundo a psiquiatra Mara Maranhão, da Universidade Federal de São Paulo

(Unifesp), a depressão pode impedir que o paciente trabalhe ou estude, ou então faz com que ele precise se esforçar muito para conseguir concluir determinada atividade.

7 -  Cansaço

O cansaço pode ser um indicativo da depressão

O cansaço pode ser um indicativo da depressão

Diminuição de energia, cansaço frequente e fadiga são comuns em pessoas com depressão, mesmo quando elas não realizaram esforço físico. “O indivíduo pode queixar-se, por exemplo, de que se lavar e se vestir pela manhã é algo exaustivo e pode levar o dobro do tempo habitual”, segundo o capítulo sobre depressão do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), feito pela Associação Americana de Psiquiatria.

8 – Pensamentos recorrentes sobre morte

 

Pensamentos sobre morte pode ser um forte indicio de depressão

Pensamentos sobre morte pode ser um forte indicio de depressão

Em casos mais graves, pessoas com depressão podem apresentar pensamentos recorrentes sobre morte, ideação suicida ou até tentativas de suicídio. A frequência e intensidade dessas ideias podem mudar de acordo com cada paciente. “As motivações para o suicídio podem incluir desejo de desistir diante de um obstáculo tido como insuperável ou intenso desejo de acabar com um estado emocional muito doloroso”, de acordo com o DSM-5.

Fonte: revista veja

Se você se enquadra nesses sintomas procure um atendimento especializado, buscar ajuda é o primeiro passo para tratar a depressão.

4 fases do estresse

16 de abril de 2014 at 5:14

Nas ultimas 24 horas sentiu seus músculos mais tensos, respiração curta e rápida, sentiu cansaço ou com dificuldade para dormir, você pode estar na primeira fase do estresse conhecida como fase do alerta. Essas reações podem ser causadas por alguma briga, susto, ou qualquer outra coisa que interrompa o equilibro do organismo. O que causa estresse numa pessoa não causa em outra, por isso é importante observar o que esta lhe causando a sensação inicial de estresse.

 

fase estresse alerta

fase estresse alerta

 

Se os estressores são constantes e você não esta sabendo lidar com eles, você pode passar para a fase de resistência. Nessa fase, pode ocorrer dificuldade de memória, complicações para dormir, cansaço, irritação ou emotividade excessiva, gripes freqüentes. Essas reações acontecem porque seu organismo esta precisando gastar mais energia devido ao desequilíbrio que esta passando.

fase estresse resistencia

 

A terceira fase do estresse é a quase-exaustão, ocorre quando a demanda é maior do que os recursos que dispõe para enfrentar, se você esta se sentindo muito desanimado, cansado, irritado, etc. e em outros momentos sente-se motivado a realizar suas atividades diárias, você está com sinais de fase de quase exaustão.

fase estresse quase exaustão

Na ultima fase do estresse seu organismo já esta enfraquecido, um maior vulnerabilidade a doenças e maior propensão a desenvolver pressão alta, enxaquecas, doenças cardíacas, depressão e transtorno de ansiedade.

fase estresse exaustão