Adolescência: o corpo paga pelas noites mal dormidas

12 de abril de 2016 at 14:23

Adolescentes com idade entre 14 e 17 anos que dormem menos de sete horas por noite são mais propensos a apresentar comportamentos de risco, em comparação com seus pares que têm mais de nove horas de sono. As informações são de um novo relatório divulgado quinta-feira pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês).

Pesquisadores do CDC analisaram informações de 50.370 estudantes do ensino médio e descobriram que aqueles que dormiam menos de sete horas por noite eram mais propensos a cometer atitudes arriscadas. Entre os comportamentos de risco citados estão: andar de bicicleta sem capacete, não usar cinto de segurança, estar em um carro cujo motorista está alcoolizado, conduzir alcoolizado e enviar mensagens pelo celular enquanto dirige.

A associação ainda tem de ser aprofundada em novos estudos. Sabe-se, no entanto, que a falta de sono prejudica a memória, afeta o desempenho físico e altera o humor.

Atualmente o CDC recomenda que adolescentes com idade entre 14 e 17 anos durmam entre oito a dez horas por noite. Embora este seja apenas um estudo observacional, pesquisas anteriores já mostraram relações entre a falta de sono e o desenvolvimento de problemas em jovens. Tanto que, em 2014, a Academia Americana de Pediatria recomendou que as aulas comecem mais tarde para que os alunos consigam dormir o suficiente.