Estudo mostra que exercícios de resistência podem melhorar a memória

9 de outubro de 2014 at 1:52

Resultados semelhantes já haviam sido obtidos com longos períodos de exercícios aeróbicos, mas a nova pesquisa indica que os benefícios podem ser alcançados mais rapidamente

e exercitar na academia por pelo menos 20 minutos pode ajudar a melhorar a

memória de longo prazo. É o que diz um estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Geórgia, em Atlanta, Estados Unidos, e publicado no periódico Acta Psychologica. Estudos anteriores já haviam mostrado que a memória pode ser beneficiada por diversos meses de exercícios aeróbicos, como corrida ou natação, porém o novo estudo demonstra que um resultado semelhante pode ser obtido em um período muito menor. “Nosso estudo indica que as pessoas não precisam dedicar grandes quantidades de tempo para beneficiar o cérebro”, afirma Lisa Weinberg, estudante do Instituto e principal autora.

agachamento psiquiatria em curitiba

A pesquisa contou com a participação de 29 mulheres e 17 homens, que foram divididos em dois grupos. Na primeira parte do experimento, todos viram uma série de 90 imagens mostradas na rela de um computador, que podiam ser positivas, neutras ou negativas (como crianças brincando em um tobogã, relógios e imagens de corpos mutilados), e foram instruídos a memorizar quantas pudessem. Os voluntários foram então divididos em um grupo ativo e outro passivo. Os integrantes do primeiro deveriam realizar um exercício de esticar e encolher as pernas em um equipamento de academia 50 vezes, na maior intensidade que conseguissem, enquanto o outro simplesmente se sentou e permitiu que a máquina movesse suas pernas.

Biceps-Workout-Dumbbell-Curls-02-1024x6821

A pressão sanguínea e os batimentos cardíacos dos participantes foram monitorados, e amostras de saliva foram coletadas para que fosse possível avaliar os níveis de neurotransmissores ligados ao stress provocado pelo exercício. Depois dias depois, foi mostrada aos participantes uma nova série de imagens, com as 90 que eles haviam visto antes e 90 novas, para que eles reconhecessem aquelas que já tinham visto. Os resultados mostraram que o grupo passivo se lembrou de cerca de 50% das imagens originais, enquanto o outro chegou a 60%.

capacidade-de-aprendizado-do-cerebro-6

A escolha de fazer os participantes estudarem as imagens antes de realizar a atividade física se baseou em descobertas feitas em pesquisas com modelos animais, que mostraram que o período depois do aprendizado (denominado consolidação) é quando o stress causado pelo exercício pode ser mais benéfico para a memória. Apesar de a pesquisa ter sido feita com um exercício usando pesos, os pesquisadores afirmam que atividades de resistência como agachamentos podem produzir o mesmo efeito. “Nós agora podemos tentar determinar a aplicabilidade desta descoberta a outros tipos de memória, e o melhor tipo e quantidade de exercício em diversas populações, como idosos e pessoas com problemas de memória”, disse Minoru Shinohara, professor da escola de psicologia aplicada e um dos autores do estudo.

fonte: revista veja