Como enfrentar o TDAH?

23 de agosto de 2015 at 6:12

Como enfrentar o TDAH?

 

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) acomete cerca de 4% dos adultos no mundo todo, enquanto que em crianças, a taxa varia de 3% a 5%.

Seu início se dá na infância e persiste na fase adulta. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Associação Psiquiátrica Americana, o TDAH é um transtorno psiquiátrico que tem como características comuns a desatenção, agitação – chamada também de hiperatividade – e a impulsividade.

Esses sinais interferem e dificultam o emocional e os relacionamentos da pessoa. Em crianças, há o baixo desempenho escolar e outros problemas de saúde.

Como se percebe o TDAH em adultos? Como podemos enfrentar o TDAH? A medicação é a melhor alternativa?

 

Conhecendo as causas do TDAH

 

Ainda atualmente, existem diversas dúvidas quanto a real causa do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). Por isso, não há causa comprovada ainda.

Porém, o Dr. Marcelo Saraiva afirma que “os principais fatores identificados como causa são umas suscetibilidades genéticas em interação direta com fatores ambientais”. Isto é, a herança da doença por parte dos pais tem como probabilidade alta como causa do TDAH.

O Dr. Marcelo Saraiva ainda comenta que “pesquisas também têm apresentado como possíveis causas de TDAH: problemas durante a gravidez ou no parto e exposição a determinadas substâncias (chumbo)”.

“Outros fatores, como danos cerebrais (…) podem afetar processos de atenção, motivação e planejamento, relacionando-se indiretamente com a doença”, ele complementa.

 

Sintomas do TDAH em adultos

 

Dos 4% dos adultos hoje com TDAH, pelo menos 80% deles tem seu início na infância. Embora seja muito comum reparar nos sintomas quando são crianças, existem sintomas que caminham lado a lado conforme a pessoa se torna adulta.

Muitas, então, cresceram com os problemas e com as dificuldades do TDAH, transformando-se em sintomas mais sutis do que no caso de crianças.

Os sintomas mais comuns em adultos podem ser apontados como:

  • Falta de organização: adultos com TDAH possuem muitos problemas relacionados a organização, pelo simples fato do aumento de responsabilidades que a idade traz (trabalho, filhos, pagamentos, entre outros). A falta de organização afeta profundamente a qualidade de vida da pessoa.
  • Dirigir carro de forma distraída: adultos com TDAH possuem muita dificuldade em manter a atenção em tarefas. Nesse caso, dirigir sem a atenção devida poderá acarretar acidentes de trânsito.
  • Falta de concentração: associada ao item anterior, em ambientes organizacionais isso pode prejudicar sua carreira e sua própria competitividade dentro de empresas (baixa performance e produtividade). É fácil perceber em adultos com TDAH a facilidade com que se distraem com o toque do telefone, ruídos diversos, entre outros. Esse sintoma mostra que uma pessoa com TDAH começa tarefas mas nunca as terminam.
  • Brigas e problemas conjugais: o TDAH atrapalha profundamente a vida a dois. Exemplos nesse caso são a falta de pontualidade, de honrar compromissos e a falta de atender pedidos do parceiro.
  • Atrasos: adultos com TDAH atrasam-se frequentemente para qualquer compromisso.
  • Falta de controle de emoções: aqui entram acessos de raiva e gritos, sendo chamados de explosivos, tensos ou nervosos. O estresse é um sinal alarmante do TDAH.

 

Como enfrentar o TDAH?

 

De acordo com o Dr. Marcelo Maroni, “o TDAH pode ser um importante problema no adulto. O tratamento do TDAH no adulto deve ser realizado após correto diagnóstico”.

Por isso, o Dr. Marcelo Maroni afirma que com o diagnóstico apropriado, o adulto com TDAH deve iniciar um tratamento medicamentoso, além de ter sempre o acompanhamento do médico especializado.

Muitos adultos também optam pela psicoterapia como um complemento do tratamento medicamentoso, pelo fato de serem necessárias algumas mudanças e reestruturação a nível profissional ou doméstico. Mas vale lembrar que o único meio comprovado cientificamente para o TDAH é a medicação.

O Dr. Marcelo Maroni ainda argumenta que “é importante que seja avaliada criteriosamente a utilização de medicamentos em função dos efeitos colaterais que os mesmos possuem. Mais de 80% dos portadores de TDAH beneficiam-se com o uso de medicamentos (…)”

O tratamento com remédios é o método mais eficaz com o TDAH, mas com o auxílio profissional, o paciente pode também apostar em hábitos de vida saudáveis para que traga mais benefício no dia a dia.

Pelas dificuldades que o TDAH traz na vida do adulto, é essencial que se siga corretamente todas as orientações dadas pelo médico capacitado, e o comprometimento em evitar que a doença piore e afete imediatamente a pessoa e seus relacionamentos mais próximos.