Entenda o que é o TDAH e como tratar

9 de outubro de 2015 at 5:02

O TDAH significa Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade. Ele é considerado um transtorno neurológico, que surge na infância e pode continuar na idade adulta.

O que é o TDAH? O que causa a doença? Quais são os sintomas? Como chegar a um diagnóstico correto e qual é o tratamento para o TDAH?

 

Como entender o TDAH?

TDAH 

O TDAH, segundo o Dr. Marcelo Maroni Saraiva, “se caracteriza por freqüente comportamento de desatenção, inquietação e impulsividade em pelo menos três contextos diferentes.”

Esses contextos que o Dr. Marcelo comenta são relacionados com as áreas de relacionamento com os demais, como, por exemplo, trabalho, vida familiar e nos estudos.

O DSM (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) atual classifica o TDAH em três tipos:

  • TDAH com predomínio de sintomas de desatenção,
  • TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade,
  • E TDAH combinado: desatenção + hiperatividade.

Conjuntamente com os três tipos existentes, uma pessoa pode possuir um grau diferente de TDAH, entre leve, moderado e grave.

direcao-e-celular-nao-combinam

 

 

Causas genéticas e ambientais

 

Para simplificar, o Dr. Marcelo Maroni conta que “segundo a OMS e a Associação Psiquiátrica Americana, o TDAH é um transtorno psiquiátrico que tem como características básicas a desatenção, a agitação (hiperatividade) e a impulsividade, podendo levar a dificuldades emocionais, de relacionamento, (…) e outros problemas de saúde.”

Ainda existem dúvidas quanto a real causa do TDAH, porém de acordo com o Dr. Marcelo Maroni, “os principais fatores identificados como causa são umas suscetibilidades genéticas em interação direta com fatores ambientais.”

Disso, podemos apontar como possíveis causas:

  • Hereditariedade,
  • Problemas durante a gravidez ou no parto,
  • Exposição a determinadas substâncias, como, por exemplo, chumbo,

 

Sintomas do TDAH

sonharrr 

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade leva em conta um critério quanto ao seu diagnóstico, de modo que está intimamente relacionado com os sintomas.

Para o Dr. Marcelo Maroni, “para se diagnosticar um caso de TDAH é necessário que o indivíduo em questão apresente pelo menos seis dos sintomas de desatenção e/u seis dos sintomas de hiperatividade; além disso, os sintomas devem manifestar-se em pelo menos dois ambientes diferentes e por um período superior a seis meses.”

Quais são os sintomas da desatenção?

  • Cometer erros por descuido,
  • Deixar de prestar atenção em detalhes,
  • Ter dificuldade em organizar tarefas e atividades,
  • Não seguir instruções,
  • Ter dificuldade em manter a atenção nas tarefas e atividades,
  • Esquecer-se de atividades cotidianas,
  • Perder objetos necessários para as tarefas e atividades,
  • Ter facilidade em distrair-se com estímulos externos (ou pensamentos sem relação com o que está sendo feito no momento).

Quais são os sintomas da hiperatividade?

  • Agitação frequente de pés e mãos,
  • Falar em demasia com frequência,
  • Sempre “elétrico” ou “a todo vapor”,
  • Dificuldade, quase sempre, de se envolver em atividades de forma silenciosa,
  • Inquietação motora,
  • Sair do recinto ou levantar-se de onde está sentado em momentos em que não deveria.

Quais são os sintomas da impulsividade?

  • Fornecer respostas antecipadas antes mesmo das perguntas serem feitas,
  • Dificuldade em aguardar a vez,
  • Interromper assuntos que envolvem terceiros.

 

Correto diagnóstico é primordial

 

O Dr. Marcelo Maroni já afirma: “o TDAH pode ser um importante problema no adulto. O tratamento do TDAH no adulto deve ser realizado após correto diagnóstico.”

O Médico explica que a mente do portador de TDAH é como se fosse uma excelente orquestra, com ótimos músicos, porém cada um toca de um jeito e o que ouvimos é som desorganizado. Mas quando o paciente é acompanhando com a medicação é como se colocasse um Maestro que irá coordenar os músicos e a orquestra irá tocar harmoniosamente.

Sem dúvida, o tratamento mais eficaz é a combinação da medicação com terapia (comportamental). A avaliação da medicação indicada pelo médico deve avaliar os efeitos colaterais que ela traz.

Com o tratamento já disponível, pode-se afirmar que é de necessidade absoluta que o paciente siga as instruções corretamente, de modo que os benefícios do tratamento sejam transmitidos ao indivíduo.

É importante compreender que o TDAH afeta negativamente a vida do individuo, dificulta seu desenvolvimento profissional e afeta duramente seus relacionamentos. A falta de atenção pode resultar também em perdas patrimoniais como acidentes e incidentes decorrentes da falta de atenção do portador do TDAH.

Então procurar um tratamento adequado é fundamental para reduzir ou até mesmo sanar com os efeitos da doença.